CLOSE
21 de janeiro de 2019

Ajustes inevitáveis com a volta às aulas

Como em todo início de ano, o período de volta às aulas provoca um frisson geral e o reajuste da rotina provoca impactos consideráveis no mercado, no trânsito, e até na oferta de água e energia elétrica. Em um condomínio não poderia ser diferente, mas é possível desenvolver medidas de equilíbrio das despesas e na organização das tarefas sem comprometer a qualidade dos serviços durante este momento.

Em função do vestibular e do Enem, algumas escolas anteciparam o início das aulas do Ensino Médio, o que pode amenizar um pouco o caos. Com esta antecipação, o volume de estudantes retorna às aulas por etapa, fazendo com que seus efeitos possam ser sentidos gradativamente, e é neste âmbito que algumas medidas preventivas podem ter mais eficácia.

Educação no trânsito

O impacto mais visível da volta às aulas é o aumento do número de veículos nas ruas, refletido em engarrafamentos e pontos de lentidão, especialmente nas regiões próximas às instituições de ensino e de acesso ao transporte coletivo. Nos condomínios, o maior entrave está no controle do fluxo de entrada e saída de veículos e pedestres, e na segurança. Serviços de transporte escolar também demandam cautela e organização no embarque e desembarque de passageiros, principalmente de crianças pequenas.

Se a educação no trânsito prevalecer, das garagens às grandes vias, é possível criar um cenário ideal. Motoristas e pedestres devem promover o respeito às regras de trânsito e sinalização, bem como aos arranjos, desvios e bloqueios das vias instalados por escolas, monitores e agentes de tráfego, geralmente no início, fim e tricas de turnos.

No condomínio, portaria e condôminos devem estar orientados e promover o respeito a estas regras e às próprias normas do empreendimento, principalmente no tocante à entrada e saída de veículos, à prioridade deste acesso, e à identificação e acesso de veículos de terceiros. Acima de tudo, os horários de deslocamento e cálculos de rotas e distâncias para as escolas devem ser feitos com brevidade por todos, para evitar desgastes e surpresas.

Uso racional de água e energia elétrica

Além do trânsito, o consumo de recursos como água e energia elétrica é outro fator de grande impacto neste período. São mais roupas a lavar e passar, mais chuveiros e torneiras ligadas, e uma série de tarefas domésticas que precisam estar atentas às boas práticas de sustentabilidade e uso racional, tanto para evitar o desperdício tanto para prevenir surpresas nas faturas.

Nos condomínios com elevadores, as despesas com energia elétrica também são elevadas consideravelmente. Maus hábitos como “segurar o elevador” ou solicitá-lo sem reunir todas as pessoas que irão entrar na cabine, implicam em desperdícios e aumento do consumo.

Com bom senso e práticas orientadas para o uso racional e consumo sustentável, é possível manter o equilíbrio, evitar desgastes e tornar a volta às aulas um momento tranquilo e menos estressante.