CLOSE
1 de outubro de 2015

Outubro Rosa no Grupo Solução & CIA

O Outubro Rosa é uma campanha de conscientização dirigida às mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do Câncer de Mama. O movimento nasceu nos Estados Unidos em 1992 estimulando a participação da população por meio de corridas, espaços para debate e outros eventos. No Brasil, a campanha é promovida pelo Instituto Nacional do Câncer – INCA desde 2010.

O Grupo Solução & CIA acredita que a melhor forma de sensibilizar e fazer com que as mulheres percam o medo e a vergonha de fazer o exame de toque e procurar um médico é difundindo as informações de forma clara e objetiva. Mitos e informações superficiais precisam ser combatidos com a busca de conteúdo atualizado, por isso é fundamental procurar conhecer o histórico de doenças da família. A sensibilização dos colaboradores e redes de relacionamento acerca do tema acontecerá durante todo o mês de outubro.

Adotar hábitos saudáveis e buscar orientação médica, especialmente as mulheres a partir de 40 anos, são medidas ainda ignoradas por muitas mulheres, inclusive por cônjuges. Ser mulher e envelhecer são os principais fatores que aumentam o risco. Olhar, palpar e sentir qualquer alteração na mama facilitam o diagnóstico precoce.

Fatores relacionados ao câncer de mama

O sobrepeso, a obesidade (principalmente após a menopausa), o sedentarismo, o consumo de álcool e a exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X) são os fatores ambientais que estão relacionados ao câncer de mama. Como aliados, alguns fatores hormonais merecem atenção, como a mulher ter tido primeira menstruação antes de 12 anos, não ter gerado filhos ou ter o primeiro filho após os 30 anos, não ter amamentado, menopausa após os 55 anos e ter feito reposição hormonal pós-menopausa por mais de cinco anos.

Por isso, mulheres de 40 a 49 anos devem realizar o exame clínico das mamas anualmente, e as mulheres de 50 a 69 anos devem realizar o exame clínico das mamas anualmente e a mamografia a cada dois anos.

Além destes fatores, uma história familiar de câncer de mama e ovário, principalmente em parentes de primeiro grau antes dos 50 anos, aumenta o risco, por isso as mulheres deste perfil precisam conversar com o médico para a avaliação do risco e decidir a conduta a ser seguida.